Arquivo da categoria: mercado de veículos

Produção de motos expandiu 15% em setembro

Indústria de Motocicletas Segue Em Expansão: em Setembro,
Produção Cresceu 15%

Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo mostram que as indústrias instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) produziram 92.894 motocicletas em setembro. O volume é 15,1% superior a setembro de 2018 (80.687 unidades).

De janeiro a setembro saíram das linhas de produção 836.450 unidades, correspondendo a uma alta de 7,5% na comparação com o mesmo período do ano passado (777.779 unidades). Em relação a agosto, que contou com um dia útil a mais, houve recuo de 19% (114.738 unidades).

A oferta de crédito continua a ser o principal motivo para o crescimento. Segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, este cenário, aliado a taxas de juros mais atrativas, faz com que muitos consumidores troquem suas motocicletas por modelos 0 km. “O que se observa é a motocicleta sendo utilizada cada vez mais como alternativa para a mobilidade flexível, econômica e eficiente nas cidades brasileiras, além de possibilitar a geração de renda para seu condutor”, explica.

Na análise do executivo, o mercado ainda deve se manter aquecido nos próximos meses em função de fatores sazonais, como o pagamento do 13º salário e a chegada do verão, além do lançamento de novos modelos durante do Salão Duas Rodas, programado para o período de 19 a 24 de novembro, no São Paulo Expo, em São Paulo (SP). “O Salão é o principal evento do Setor de Duas Rodas e costuma receber mais de 200 mil visitantes, atraindo compradores entusiastas, que sempre aguardam pelas novidades e querem experimentar e adquirir uma motocicleta nova”, diz Fermanian. 

Oferta de crédito e taxas de juros atrativas são os principais motivos para a alta demanda; a média diária de vendas foi a maior para o mês desde 2015.

Pelas projeções atuais da Abraciclo, as fabricantes de motocicletas deverão produzir 1.100.000 unidades no presente ano, o que representa uma alta de 6,1% na comparação com o volume de 2018 (1.036.788 unidades).

VENDAS NO ATACADO

Em setembro as vendas de motocicletas no atacado – das fabricantes para as concessionárias – somaram 95.282 unidades, correspondendo a um avanço de 24,2% em relação ao mesmo mês do ano passado (76.695 unidades) e queda de 9% na comparação com agosto do presente ano (104.649 unidades).

No acumulado do ano foram vendidas 816.064 motocicletas no atacado, volume 14,7% superior ao mesmo período de 2018 (711.644 unidades).

EMPLACAMENTOS

Em setembro, 87.719 motocicletas foram licenciadas no País, representando uma alta de 18,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado (74.067 unidades), de acordo com a análise dos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) feita pela Abraciclo. Em comparação com agosto (88.625 unidades), houve queda de 1%.

        Com 21 dias úteis em setembro, a média diária de vendas foi de 4.177 motocicletas. Esse foi o melhor desempenho para o mês desde 2015 (4.521 unidades/dia, que também teve 21 dias úteis). Na comparação com setembro de 2018 (3.898 unidades/dia, com 19 dias úteis), o crescimento foi de 7,2%. Na comparação com agosto do presente ano, a alta foi de 3,7% (4.028 unidades/dia, com 22 dias úteis).

Ainda segundo a análise dos dados do Renavam, de janeiro a setembro foram emplacadas 796.426 motocicletas no País, volume 14,4% maior ante as 695.928 unidades licenciadas no mesmo período do ano passado.

EXPORTAÇÕES

Em setembro foram exportadas 2.390 motocicletas, correspondendo a uma queda de 28,4% na comparação com o mesmo mês de 2018 (3.336 unidades) e de 33% em relação a agosto do presente ano (3.566 unidades). No acumulado de janeiro a setembro o volume exportado foi de 29.136 unidades, representando uma queda de 49% na comparação com o mesmo período de 2018 (57.131 unidades).

A Argentina foi o principal destino das motocicletas em setembro, segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os volumes de embarques totais de cada mês,analisados pela Abraciclo. Foram embarcadas 1.942 unidades para aquele país, o que representa 58,6% do volume total  exportado. Na sequência, ficaram a Colômbia (602 unidades e 18,2% de participação) e os Estados Unidos (356 e 10,7%).

Nos nove meses do ano, a Argentina também foi o país que mais comprou motocicletas fabricadas no PIM. De janeiro a setembro foram embarcadas 14.274 unidades, o que representa 47,2% do volume total exportado. Em seguida, vieram os Estados Unidos (5.881 unidades e 19,5% de participação), seguidos pela Colômbia (4.021 unidades e 13,3%).

DESEMPENHO POR CATEGORIA NO ATACADO

A Street foi a categoria mais vendida em setembro, com 49.013 unidades e 51,4% de participação. Na sequência, vieram a Trail (19.005 e 19,9%), Motoneta (11.998 e 12,6%), Scooter (8.716 e 9,1%) e Naked (2.066 e 2,2%). 

Essas posições foram mantidas no acumulado de janeiro a setembro: Street (406.526 unidades e 49,8% de participação), Trail (163.153 unidades e 20%); Motoneta (121.941 unidades e 14,9%), Scooter (70.497 unidades e 8,6%); e Naked (18.895 unidades e 2,3%). 

Carros BMW cresce 1,5% em receita, enquanto BMW Motorrad retraiu 15,5%

“Os ganhos do grupo atingiram novamente o mesmo nível do ano passado. A margem EBIT no Segmento Automotivo subiu para 9,7%, apesar dos maiores custos de P & D. Estamos bem posicionados em nossa meta de 8-10%.” Declarou o Dr. Nicolas Peter membro do Conselho de Administração da BMW AG.

No primeiro trimestre de 2018, as vendas globais tiveram um bom desempenho, aumentando em 3,0%.

Salão_QR_2016-7950

Carros BMW – O euro forte significava que as receitas do segmento eram ligeiramente inferiores às do ano anterior. Ajustadas pelos efeitos cambiais, as receitas subiram 1,5%. O EBIT do segmento de 1,88 bilhão de euros ficou no mesmo nível do ano anterior – apesar dos custos mais altos de P & D e dos ventos contrários dos preços de moedas e commodities.

No segmento Automotivo, prevemos um ligeiro aumento nas entregas e receitas para 2018. Apesar dos altos investimentos iniciais, ainda pretendemos manter a margem EBIT entre 8 e 10%.

BMW Motorrad

Quase 36 mil motocicletas foram entregues aos clientes nos primeiros três meses de 2018. As receitas foram 15,5% menores do que no ano anterior, em 524 milhões de euros. Devido ao ramp-up de novos modelos, incluindo o impacto de várias trocas de modelos, a produção total diminuiu no primeiro trimestre. Consequentemente, as vendas para a organização de varejo – que formam a base para o reconhecimento de receita – diminuíram. Os efeitos cambiais também tiveram um impacto negativo.

Como resultado, os lucros operacionais do Segmento no primeiro trimestre foram menores do que no ano anterior. A margem EBIT foi de 14,7%.

A projeção agora é de um ligeiro aumento nas entregas no segmento de motocicletas em 2018.

marcelmanocartão2017

 

Produção de motocicletas registra alta em janeiro

image002Da divulgação.

Em janeiro saíram das linhas de produção 81.646 motocicletas, contra 32.814 unidades em dezembro e 75.959 no primeiro mês de 2016, o que representa crescimentos de 148,8% e 7,5%, respectivamente, de acordo com os dados divulgados pela ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares.

“O aumento de produção registrado em janeiro ocorreu em função das bases de comparação terem sido os baixos volumes de dezembro, quando as fabricantes se encontravam nas habituais férias coletivas de final de ano.  O que se verifica no momento ainda é um ritmo lento na comercialização, com os consumidores tendo dificuldades para obter financiamento e as redes de concessionárias buscando formas variadas para viabilizarem os negócios”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

“Apesar do crescimento, a média diária de vendas no primeiro mês de 2017 atinge o menor patamar de janeiro desde 2003.”

As vendas no atacado – para as concessionárias – atingiram 67.136 unidades em janeiro, alta de 19,8% em relação ao mês de dezembro, com 56.051, e de 14,2%, em comparação com janeiro de 2016 (58.801).

As exportações somaram 5.769 unidades no 1º mês deste ano, contra 6.402 de dezembro, o que representa um recuo de 9,9%. No entanto, em comparação com o mesmo mês de 2016, com 3.336 motocicletas exportadas, houve um crescimento de 72,9%.

Reforçando o momento de cautela no mercado, ainda em janeiro, com base nos licenciamentos* registrados pelo Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), foram emplacadas 67.596 motocicletas, volume 16,4% inferior ao apresentado no mês anterior (80.837). Em relação ao mesmo mês de 2016 (78.538), houve queda de 13,9%.

Mesmo com dois dias úteis a mais que o primeiro mês do ano passado (20 dias), a média diária de vendas apresentou queda de 21,8%, passando de 3.927 para 3.073 motocicletas – o pior janeiro desde 2003, que havia registrado a venda de 2.920 unidades por dia útil.

(*) No varejo, foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos
Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas

Com 40 anos de história e contando com 14 associadas, a ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares –  representa, no país, os interesses dos fabricantes de veículos de duas rodas, além de investir em ações visando a paz no trânsito e a prática da pilotagem segura.

A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as seis maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram aproximadamente 14 mil empregos diretos no PIM.

MOTOCICLETAS BICICLETAS
Frota nacional: mais de 25 milhões Frota nacional: mais de 70 milhões
Produção anual: cerca de 900 mil  unidades Produção anual: 2,5 milhões
de unidades
6º maior produtor mundial 4º maior produtor mundial

(*) Dados do fechamento de 2016.

Para conhecer mais sobre os trabalhos da ABRACICLO, acesse o site www.abraciclo.com.br.

 

Linha Harley-Davidson 2016

Os fãs e entusiastas da Harley-Davidson no Brasil já podem realizar o sonho de adquirir um ícone da marca de motocicletas mais famosa do mundo. A tão aguardada linha 2016 da H-D chega em todas as concessionárias brasileiras da marca com condições especiais de financiamento. A Harley-Davidson® Financial Services, braço financeiro da Harley-Davidson®, oferece taxa de 0,99% ao mês, com 50% de entrada e saldo em 24 parcelas fixas. As motocicletas com condições especiais são limitadas e estão sujeitas a disponibilidade de estoque nas concessionárias em todo o Brasil.

Além disso, com o objetivo de propocionar a experiência do espírito de liberdade e atitude da Harley-Davidson para quem tem a intenção de adquirir uma emblemática motocicleta da marca, a fabricante norte-americana mantém test ride para sua linha 2016 em todo o Brasil.

Com destaque especial para a Iron 883™ e Forty-Eight®, da família Sportster®, dois dos modelos que estão entre as principais novidades do ano, o objetivo é aproximar ainda mais a marca de uma nova geração de motociclistas, formada por jovens ansiosos por reafirmar seus próprios valores, criar sua liberdade e viver intensamente.

“A nova linha 2016 chega ao Brasil com ofertas especiais para quem quer uma moto 0 km com ótima condição de lançamento. Já as últimas unidades da linha 2015 são ótimas oportunidades para quem deseja a melhor relação custo-benefício neste momento”, destaca Flavio Villaça, gerente de Marketing, Produto e Relações Públicas da Harley-Davidson do Brasil.

Além disso, os modelos da família V-Rod® 2015 continuam com a mesma condição do ano passado: modelos V-Rod Muscle® e Night Rod® Special podem ser adquiridos com taxa de 0,99% ao mês, com 50% de entrada e saldo em 12 ou 24 parcelas fixas.

Linha Harley-Davidson 2016

Fotos: site oficial HD, texto divulgação.


Harley-Davidson, Inc. é a empresa controladora da Harley-Davidson Motor Company e da Harley-Davidson Financial Services. Desde de 1903, a Harley-Davidson Motor Company realiza sonhos de liberdade pessoal, com motocicletas Custom, Cruiser e Touring, oferecendo experiências de pilotagem e eventos, além de uma linha completa de peças de motocicleta, acessórios, vestuário, equipamentos funcionais e artigos em geral. Para mais informações, visite o site da Harley-Davidson em www.harley-davidson.com.

121,9 mil veículos financiados em São Paulo

Com a marca de 121.933 veículos financiados em agosto, o estado de São Paulo manteve a liderança no ranking nacional de financiamentos de veículos que engloba autos leves, motos e
pesados.

abre vendas veiculos Anfamoto 2015 dia2 013Autos leves e pesados novos e usados financiados apresentaram queda de cerca 5.600 unidades em agosto – em relação a julho, já os motociclos foram responsáveis por 14.049 unidades comercializadas na modalidade crédito, aumento de pouco mais de 1.500 motos, ante 13.619 motocicletas em julho. A informação é da Cetip, companhia integradora do mercado financeiro.
A variação no número de emplacamentos das marcas de motociclos no mercado brasileiro, até o dia 22 no mês de setembro, apresentou aumento em três montadoras; Suzuki (28,3%) – fruto da redução dos preços e agressivas campanhas de vendas, Traxx (33,7%) e Shineray (3,4%), conseqüência da atual legislação que passou a determinar o emplacamento dos motociclos de até 50 cc.