Diego Djamdjian dispara flips no espetáculo radical “Adrenalina” freestyle na Turquia

FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS

Buscar desafios define Diego Djamdjian. Ao longo da carreira dominou manobras, incentivou o freestyle motocross no Brasil e chegou a eventos como o Nitro Circus. Em 2018 iniciou novo capítulo: Desde maio está na cidade de Antália, Turquia, onde integra “Adrenalina”. O espetáculo é realizado no complexo turístico Land of Legends, e batizado em referência à sensação do público diante da radicalidade das atrações.

FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS
FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS

Localizado na região do Mediterrâneo, o complexo Land of Legends reúne luxuoso hotel, shopping e parque temático. Este último onde Djamdjian participa de “Adrenalina”. O espetáculo integra o FMX às artes circenses, e tem um objetivo principal: proporcionar uma experiência inesquecível ao público.

Experiência resultante da combinação entre estrutura, qualidade dos artistas e dinâmica das sessões. Conceitualmente tudo é bem diferente dos shows realizados no Brasil, o que surpreendeu Djamdjian: “Cheguei com uma ideia, esperando algo parecido a um circo tradicional, mas é outra coisa. Totalmente diferente dos espetáculos circenses que conhecia. Há luzes, música ao vivo, lembra uma balada. É ótimo o freestyle motocross ganhar espaço nesse tipo de ambiente”, analisa Djamdjian.

FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS
FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS

Mas ganhar espaço significa encarar enorme desafio como piloto. Djamdjian entra em ação três vezes por semana, como parte do trio de pilotos de “Adrenalina”. E no final dos espetáculos dispara manobras individuais e em sequência com outros pilotos, incluindo backflips, algo que Djamdjian resume como “uma experiência de alto impacto para o público graças à combinação entre manobras, luzes e dinâmica do espetáculo”.

Ironicamente, os elementos que incrementam a experiência do público são os que aumentam o desafio. O piloto explica que a transição da escuridão para a explosão de luzes e saltar a partir de um corredor estreito exige da pilotagem: “Não é possível passar do lado, medir a distância antes do salto. É preciso foco e muitas horas de voo. Diria que não são todos os pilotos que encarariam”.

FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS
FOTO CRÉDITO: LAND OF LEGENDS

O freestyle motocross conquista cada vez mais espaço nos grandes espetáculos mundo afora. Prova maior dessa evolução é o interesse do Cirque de Soleil em incluir a modalidade nos seus números. Possibilidade que ressalta aspecto importante da carreira de Djamdjian: Além de buscar desafios, o piloto sempre está atento às novas oportunidades.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.